São ideias . São notas soltas . São pensamentos . São sentimentos . São parvoíces . São sonhos .

10
Mai 09

Desta vez não foste tu. Foi o meu inconsciente que resolveu manifestar-se mais uma vez.... Sonhei contigo. Estavamos frente a frente como costumavamos estar na vida real. Olhavas-me nos olhos como fazias naquelas noites em que estavas realmente presente.

"Tenho saudades tuas...", foi o que disseste quase a chorar.

Doeu tanto.

Como podes ter saudades de algo que sabes que é teu? Tu sabes que não sou de mais ninguém. Não preciso de to dizer porque tu sabe-lo bem. Doeu. Doeu imenso.

"Não digas essas coisas...", foi a única coisa que a minha boca conseguiu soltar...

Senti a tua respiração no meu pescoço. Estavas-me a abraçar como antigamente.

Quanta saudade eu tinha do teu abraço. Quanta saudade do teu calor.

A razão apoderou-se de mim: "PÁRA COM ISSO!"

Afastei-te. Virei-te costas e corri.

Ela apareceu-me à frente com aquele sorriso inocente que ela tem a contrastar com o pânico que se tinha apoderado de mim...

 

Acordei. Tinha sido só mais uma manifestação estúpida do meu inconsciente enquanto eu tentava esquecer-te durante o sono.


12
Abr 09

Não sei se finges ou se estás mesmo feliz. Não sei se finjo ou estou mesmo bem. Quero acreditar que estás feliz sem mim, mesmo sabendo que pertences a outro alguém... Gostava de sorrir para ti sem que isso me magoasse. Gostava que tivesses dito na minha cara aquilo que só por escrito conseguiste...

 

 

"É melhor esquecermos o que aconteceu...

Para bem de todos..."

 

 

Como queres esquecer algo que foi mais forte que nós?

Estando longe, eu sei que consegues. Mas, e quando passas por mim? Quando nos vemos, nem que seja só de relance, só eu sei o que as minhas pernas tremem, o que o meu coração acelera sem me pedir permissão!

Aquelas tuas palavras escritas cairam em mim como um relâmpago em noite de tempestade... 

 

Não fui capaz de chorar.

Não fui capaz de sentir.

Não fui capaz de reagir.

 

 

Lembras-te do que te disse antes do nosso primeiro beijo?

 

"Não me faças isto... Eu sou muito pequenina..."

 

 

 

 

Bem sei que o que a minha boca dizia não era o que ela pedia... mas não assim, não às escondidas do mundo, não como quem cometeu um crime e agora é fugitivo!

 

"Desculpa se te fiz fogo e noite
Sem pedir autorização por escrito
Ao sindicato dos Deuses
Mas não fui eu que te escolhi
Desculpa se te usei
Como refugio dos meus sentidos"

 

Sinto que esta foi a mensagem. Usaste-me como refúgio, porto de abrigo, porto seguro porque sabias que eu estaria sempre lá! Não me usaste... se me usaste, desculpa, também te usei!

 

Quero seguir em frente mas tu não deixas.

Não me pedes para ficar.

Não me pedes para partir.

Já não pedes nada.

Neste momento é isso que mais me magoa.

publicado por minha_pessoa às 21:44
música: I thought you would live your heart with me, Rita Guerra

arquivo de ideias
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO