São ideias . São notas soltas . São pensamentos . São sentimentos . São parvoíces . São sonhos .

03
Ago 09

Depois destes meses de sufoco. agora posso dizer que respiro! Respiro fundo mesmo... não digo que não doa lá no fundo, mas agora já respiro. Respiro tranquilidade. Respiro certeza. Respiro Verão!

 

Voltei a ser como era. Voltei a sorrir sem motivo e a dar gargalhadas por nada! É assim que sou e é assim que gosto de ser... Tenho pena de ter magoado pessoas de quem tanto gosto mas prefiro pessoas magoadas com a verdade do que pessoas felizes na mentira... Tu podes ser um cobarde, mas eu não sou como tu, FELIZMENTE!

 

Admito: perdi. Perdi e perti-te para sempre. Mas encontrei-me, e é isso que me faz estar feliz neste momento! Não percebi se me compreendeste ou não, se gostavas de mim ou não, ... Mas uma coisa percebi: não me mereces a mim e muito menos a ela! Tenho muita pena que ela não te consiga ver como realmente és... Ou se calhar vê...mas não quer acreditar! Não a julgo. É apaixonada. As pessoas apaixonadas são assim: cegas. Se ela te perdoou (como eu tnho quase a certeza que foi o que aconteceu), vais continuar a fazer dela o teu brinquedo o resto da vida porque sabes que ela continuará fiel a tua espera.

 

Errei. ERREI MUITO. Errei desde que te disse para pedires o meu número ao outro, até ao maior erro em ter-te deixado beijar-me. Perdi-me. PERDI-ME COMPLETAMENTE. Fui quem mais saiu a perder com tudo isto: perdi-te a ti e perdi a amizade dela, perdi dois amigos. Mas também fui a única que conseguiu enfrentar as coisas de frente. Fui a única pessoa a ter coragem para dizer o que realmente se passava... enquanto tu tapavas o sol com a peneira!

 

É a conclusão da maior confusão da minha vida:

 

Não vale apena batalhar sozinho por um amor, só é amor quando são os dois a lutar. Foste a minha maior ilusão e a minha maior desilusão. Não sei o que sinto por ti... ódio? desprezo? saudade? mas... voltar para ti? Nunca mais!

 

 

 

OBRIGADO POR TUDO O QUE ME FIZESTE CRESCER!

publicado por minha_pessoa às 11:01
sinto-me: livre!

02
Jul 09

Primeiro dia de férias de Natal. Recebo uma mensagem dela a dizer que queria falar comigo. Tremi. Toda eu tremi com aquela simples mensagem. Eu sabia o assunto que ela queria falar comigo, eu sabia o que ela ia perguntar, só não sabia o que responder. Não sabia o que dizer quando nem eu percebia o que estava a acontecer comigo, com ele, connosco! A minha única hipótese era dizer a verdade.

 

- O quê que sentes por ele?

- Sinceramente... nem eu sei! Não posso dizer que ele me é indiferente porque não o é...

 

Toda eu era um conflito. Todo o meu ser estava emaranhado em questões e conflitos de valores... A pergunta dela fez-me realmente ver que eu sentia alguma coisa por ele... Eu não sabia o que era ou se o era... Só sei que naquele dia ganhei uma amiga. Uma pessoa espetacular que não merecia nada daquilo por que estava a passar... Limitei-me a ignorar o que sentia ou, pelo menos, a tentar. Eu não me queria magoar e, muito menos, magoar alguém!

 

As SMS's continuavam e eu também continuava sem saber o que fazer... Só sabia que o sentimento ia crescendo e eu não estava a conseguir controlar: ele a desabafar comigo, ela também...e EU?!  Sim, onde é que EU ficava no meio daquela história toda?!

 

Eu não estava a conseguir lidar com aquilo. Era demais para uma pessoa só. Tive que te dizer o que se estava a passar comigo... Ficaste meio aparvalhado porque "não estavas à espera"... [Não comento!]

 

Cheguei ao meu limite. Na véspera de Ano Novo disse-te que não aguentava e que me precisava de afastar. Meia hora depois da passagem para 2009, mandaste-me uma mensagem na mesma... Eu podia não estar contigo, mas era em mim que estavas a pensar...

 

publicado por minha_pessoa às 22:13

01
Jul 09

A primeira mensagem... fico com um sorriso estúpido só de a recordar... Não tinhas a certeza se era o meu número e ainda perguntaste se me lembrava de ti! Como me poderia ter esquecido se nos tinhamos conhecido no dia anterior?! LOL

lembro-m que comninámos uma saída naquela noite e qua ficaste "ligeiramente" irritado porque dei muito mais atenção ao exibicionista do que a ti... Fartei-me de rir da tua figura, confesso, mas eu não tava muito preocupada...afinal... tinhas namorada, logo, aquilo não passava de imaginação minha, não é?

 

Os dias iam passando e eu ia vivendo a minha vidinha académica sem pensar muito em ninguém a não ser em mim e na nova fase da miha vida! Foi então que começaste a mandar mensagens assim mais continuamente, eu respondia e gostava mas também não lhes dava grande importância... lembro-me de dar comigo a dizer às minhas amigas: "Acham normal que ontem às tantas da manhã ele m mandou uma mensagem outra vez?! Quem pancadão!"

 

Realmente... Aquilo já me começava a "fazer comichão" mas tinhas namorada, ya? Eu andava tipo "Ah e tal, esquece!"...

 

Uma noite estava eu tão sossegadinha, pronta para ir dormir... Disseste que querias falar comigo...

"Estás bêbado?! Onde estás?!"

"Não, não estou nada bêbado! LOL

Estou parado no cruzamento onde te vi pela ultima vez...."

"O quê?! O quê que estás aí a fazer?!"

"À espera que decidas..."

 

Eram 2 horas da manhã e estava eu a vestir-me para ir ter contigo. Obriguei-te a sair do carro... rapámos aquele friozinho de Novembro durante as duas horas seguintes! Nem démos pelo tempo passar: a conversa simplesmente ia saindo... Quando dei por nós, já eram 4 da manhã e o assunto tinha passado pela tua crise de namoro, pelos problemas e aventuras universitárias, pelas conversas estúpidamente nossas que começaram a ganhar forma naquela noite...

 

- Bem, agora ando a aturar o mau humor da minha colega... Ela e o namorado acabaram ao fim de 4 anos... a gaja anda insuportável!

Os teus olhinhos brilharam:

- Afinal isso é possível?!

- O quê?

- Um namoro acabar ao fim de tanto tempo...

Reflecti um pouco:

- Porque não?

 

Naquela noite, sim, posso dizer que comecei a ver-te com "outros olhos".

publicado por minha_pessoa às 22:01

07
Jun 09

Faltavam 5 minutos para a hora combinada. Eu já tinha decidido não ir. Não conhecia ninguém, não ia. Passou-me uma ideia louca pela cabeça, peguei na minha colega e fui! Assim, de um impulso só. Cheguei, disse "boa noite" e esperei. Um grupo juntou-se a nós e lá fomos para o local do jantar. Lá chegados, sentei-me frente a frente com a minha colega. Um rapaz:

- Desculpa, posso sentar-me aqui?

- Não, não podes! (brinquei)

Passou a noite a exibir-se mas, sinceramente, não me chamou a atenção como o que estava sentado de frente para ele, sentado ao lado da minha colega. Noite académica, noite de bebida, noite da cerveja, noite da boa vida... No final do jantar, aquele, o exibicionista, vira-se para nós:

- E vocês? Para onde vão?

- Para casa... -respondi.

- Nem pensar! Vocês vêm sair connosco!

A minha colega olhou para mim com um ar assustado que transmitia: NEM TE ATREVASSSS! Fingi que não percebi, puxei-a e segui atrás deles. Eles já estavam todos "quentinhos", menos um: aquele que tinha estado ao lado da minha colega ao jantar. Pus-me ao lado dele.

- Onde é que vocês vão?

Ele sorriu para mim:

- A um bar qui perto, vens também?

A partir daqui, nunca parámos de falar a noite toda. Uma cumplicidade nasceu naquela noite e nem sei porquê. Parecia que já nos conheciamos à anos! Posso afirmar que foi uma amizade à primeira vista. Sim, amizade. Nessa mesma noite eu soube que ele tinha namorada e não me aqueceu nem arrefeceu: eu estava ali a divertir-me, a jogar cartas e a rir que nem uma doida com aquela gente, queria lá saber da vida amorosa daquela gente!

No fim da noite, levaram-nos até metado do caminho. No meio da estrada, disse-me:

- Tens noção que, se calhar, nunca mais nos vamos ver?

Eu ri-me:

- Achas?! Claro que vamos!- e virei costas para me ir embora.

Enquanto eu me afastava, tu ficaste parado no mesmo sítio. Acho que por momentos as tuas palavras ecoaram no meu pensamento... "Nunca mais nos vamos ver..." era isto que tu tinhas dito...

Virei-me para trás e, já do outro lado da rua, gritei:

- Pede o meu número a quem o tem!

Os teus olhos sorriram. Retribuí o sorriso e virei costas.

 

Mal sabia eu que me estava a meter na maior confusão da minha vida...

publicado por minha_pessoa às 21:51

06
Jun 09

 

Quem é que me vai limpar as lágrimas que tu me fizeste derramar? Quem é que me vai livrar deste aperto que sinto cá dentro?


 

Quanto mais tento fugir de ti, de tudo o que vivemos, de tudo o que passámos, mais a saudade se apodera de mim, mais a vontade de voltar a estar contigo aumenta... Era suposto crescer-me um ódio profundo por ti, qualquer coisa que me fizesse sentir mal por gostar tanto de ti. Mas não consigo, por mais que eu te queira odiar, não consigo. Só eu sei as lágrimas que aguentaste tanta vez à minha frente. Só tu sabes o quanto te adoro e sofri por ti. Desculpa se te faço sofrer...é o que mais me dói: saber que queres estar aqui comigo agora e não tens coragem de enfrentar tudo...

 

Caramba! Quando tudo parece finalmente comçar a correr bem... acontece sempre alguma coisa!

 

"É que eu quero-te tanto

Não saberia não te ter

Eu quero-te tanto

É sempre mais do que eu te sei dizer

Mil vezes mais do que eu te sei dizer!"

 

Só preciso do teu abraço outra vez....

Só do abraço...


23
Mai 09

Minto tanto.

Sei tão bem mentir.

Quase que consigo enganar toda a gente.

Finjo tanto.

Sei tão bem fingir.

Quase que me consigo enganar a mim própria.

E eu, que até já acreditava ter-te esquecido, percebi que continuas no mesmo sítio.

 

publicado por minha_pessoa às 22:30
sinto-me: broken
música: 'broken'- seether ft. amy lee

10
Mai 09

Velha - Então os estudos estão a correr bem?

 

{OS ESTUDOS CORREM?! ora aqui está uma novidade!}

 

Eu - Suponho que sim... pelo menos não estão mal...

 

Velha - Estás a gostar de estar lá nas universidades?

 

{Mas quantas Universidades é que a velha pensa que nós frequentamos?}

 

Eu - São porreiras são...

 

Velha - Ai o meu neto estudou muito! Era o melhor da turma!

 

{e, por sinal, o mais otário!}

 

 


[a comer uma baguete de ovo mexido com fiambre]

 

Eu - Porra! isto tá só a deitar óleo... já nem sabem fazer uma omoleta!

 

Ela - Pah parece que isso ta a mijar...

 

Eu - Fodas'! 'Tá é com incontinência!

 

{atenção: não tenho nada contra as pessoas com incontinência! Afinal daqui a uns anos também me acontecerá o mesmo...}


Desta vez não foste tu. Foi o meu inconsciente que resolveu manifestar-se mais uma vez.... Sonhei contigo. Estavamos frente a frente como costumavamos estar na vida real. Olhavas-me nos olhos como fazias naquelas noites em que estavas realmente presente.

"Tenho saudades tuas...", foi o que disseste quase a chorar.

Doeu tanto.

Como podes ter saudades de algo que sabes que é teu? Tu sabes que não sou de mais ninguém. Não preciso de to dizer porque tu sabe-lo bem. Doeu. Doeu imenso.

"Não digas essas coisas...", foi a única coisa que a minha boca conseguiu soltar...

Senti a tua respiração no meu pescoço. Estavas-me a abraçar como antigamente.

Quanta saudade eu tinha do teu abraço. Quanta saudade do teu calor.

A razão apoderou-se de mim: "PÁRA COM ISSO!"

Afastei-te. Virei-te costas e corri.

Ela apareceu-me à frente com aquele sorriso inocente que ela tem a contrastar com o pânico que se tinha apoderado de mim...

 

Acordei. Tinha sido só mais uma manifestação estúpida do meu inconsciente enquanto eu tentava esquecer-te durante o sono.

publicado por minha_pessoa às 14:26

18
Abr 09

 

"Quando pensares em desistir ou desaparecer
Levanta a cabeça, acredita, tu consegues vencer
Quando o sol se for e a lua começar a brilhar,
Vem p'ra jenela, ouve-me a cantar.

Quantas vezes já te vi perdido com medo de deitar
Pensar que amanhã já não consigo acordar
Fechar os olhos e ver que tudo está parado
Chorar por aqueles que me têm magoado.

Queria-te contar uma história mas não estás para a ouvir
Queria-te dizer o quanto te adoro mas acabaste por desistir
Saber que te afastaste com medo de arriscar
Sentir que já não sentes ou que me estás a enganar.

[...]
A vida é um jogo, arrisquei mas perdi
Se não sorris para a vida, ela não sorri p'ra ti!

Viaja no meu íntimo, descobre quem sou eu
Dá-me um porto de abrigo, que eu dou-te o que é meu
Fecha os olhos, foge dos teus medos!
[..]

Tardes passadas com a alma só que eu a via
Letras de músicas que escrevia e reflectia
Nunca pedi muito, mas nem um pouco me deram
No caminho da vida, vocês por mim não esperam...

E é isso que me revolta, que me toca e que me choca:
O preço de quem fala que para mim não volta!
Solto a voz que há muito trmpo ficou presa
Deixo-a ir embora porque sei que ela regressa...

[...]

Ajuda-me, livra-me de todos esses pesos
E quando eles sairem juro que te conto os meus segredos."


Pedro Madeira, "Descobre-me"

publicado por minha_pessoa às 12:20
sinto-me: a ir abaixo outra vez...
música: "Descobre-me", Pedro Madeira

arquivo de ideias
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO